1 de março de 2016

3 de março é o Dia Mundial da Vida Selvagem

Segunda, 29 Fevereiro 2016 18:00

País alerta para conservação da vida selvagem

Listas brasileiras de espécies ameaçadas de extinção mostram que 1.173 espécies da fauna e 2.113 da flora correm o risco de desaparecer.

Por: Marta Moraes – Edição: Alethea Muniz
No dia 3 de março (quinta-feira) é comemorado o Dia Mundial da Vida Selvagem. Esse dia serve para promover o debate sobre a relação do homem com a biodiversidade e a sua conservação. No Brasil, as Listas Nacionais Oficiais de Espécies Ameaçadas de Extinção mostram que 1.173 espécies da fauna e 2.113 da flora correm o risco de desaparecer.
Dados do Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE) apontam que 475 milhões de animais silvestres morrem, por ano, atropelados nas rodovias do País, o equivalente a mais de 15 animais por segundo.
Os animais que mais morrem nas estradas são os pequenos vertebrados, como sapos, cobras e aves de menor porte. Eles respondem por 90% dos atropelamentos. O restante se divide em animais de médio porte, como macacos e gambás, com 40 milhões, e de grande porte, como antas, lobos e onças, com 5 milhões.
A partir de hoje, o Ministério do Meio Ambiente (MMA) publica uma série de matérias especiais que reafirmam o valor intrínseco da vida selvagem. Durante toda a semana, você vai conhecer o trabalho de voluntários em vários parques nacionais. No Parque Nacional Marinho dos Abrolhos (BA), por exemplo, a estudante de biologia Sirleide Rocha passou 39 dias acompanhando a desova das tartarugas e a chegada dos turistas à ilha. A matéria especial vai mostrar que os programas de voluntariados são uma forma para a sociedade conhecer, aprender a amar e proteger a vida selvagem.
Também vai descobrir que existem cerca de 18 onças-pintadas no Parque Nacional do Iguaçu (PR) e que, desde 2008, o parque desenvolve um projeto de pesquisa com felinos. A onça-pintada e a jacutinga, entre outras espécies, encontram no parque um dos últimos refúgios no estado, onde podem se abrigar, alimentar e reproduzir, com relativa segurança, fora do alcance das pressões exercidas pelo homem.
Conhecerá ainda Sinvaldo e Sandovaldo. Dois irmãos que, há anos, desenvolvem projeto educativo na unidade do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis no Piauí (Ibama-PI). O projeto utiliza a educação ambiental como ferramenta para combate ao tráfico de animais silvestres.
Ainda sobre o tema educação ambiental, você vai conhecer outras iniciativas desenvolvidas em alguns parques nacionais brasileiros, que são unidades de conservação vinculadas ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). O Parque Nacional de Brasília, por exemplo, tem um programa de educação ambiental voltado para quem comete pequenos delitos, como pichação.
Vai saber ainda que metade das espécies ameaçadas de extinção já tem Plano Nacional de Ação (PAN), visando garantir a sua proteção. Os PANs são políticas públicas, pactuadas com a sociedade, que identificam e orientam as ações prioritárias para combater as ameaças que põem em risco populações de espécies e os ambientes naturais e, dessa forma, protegê-los.
Nesta semana, você vai saber ainda o que Parque Nacional de Anavilhanas (AM) fez para proteger os botos vermelhos. O turismo de interação com os botos cresceu sem contar com nenhuma orientação e se transformou em uma atividade com muitos pontos negativos para os animais. Mas, em 2010 o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão gestor do parque, implantou um projeto inovador para ordenar o turismo com botos no local.
Dia 3 de março é um dia para cada um de nós celebrar a beleza e a diversidade de plantas e animais selvagens; refletir sobre a relação entre vida selvagem e as pessoas; e mostrar seu respeito, amor e comprometimento com a vida selvagem.
A primeira matéria especial sobre o Dia Mundial da Vida Selvagem conta como foi feita a foto da onça na área do Parque Nacional de Brasília, que teve mais de 100 mil visualizações em dois dias, e qual a relação do servidor do parque Ari Araújo com a estratégia que o local usou para que os macacos parassem de buscar restos de alimentos nas lixeiras. O local vai inaugurar, no dia 3 de março (quinta-feira), uma trilha para ciclistas, com duchas especiais ao final do percurso. A matéria especial traz todos os detalhes da programação do evento que será realizado no Parque Nacional de Brasília.
Confira tudo isso e muito mais na nossa série de reportagens da semana!

Fonte: Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA): +61-2028-1221

21 de janeiro de 2016

Notícias da Fauna

http://g1.globo.com/rj/norte-fluminense/noticia/2016/02/inea-combate-crimes-ambientais-em-operacao-no-parque-do-desengano.html

http://www.faunanews.com.br/artigo/2016/01/fauna-e-estradas-comecando-o-ano-com-uma-boa-noticia-nasce-o-pan-estradas-21/

http://g1.globo.com/rj/norte-fluminense/noticia/2016/01/apos-denuncia-araras-sao-resgatadas-em-pousada-em-campos-no-rj.html

http://www.clipnaweb.com.br/clipping/conteudo_v2.asp?reg=569473&midia=rd&empresa=govrio

18 de janeiro de 2016

Crianças devolvem à natureza pássaros apreendidos em feiras livres do estado do Rio


13/01/2016

Cerca de 40 pássaros resgatados durante operações de combate ao tráfico de animais silvestres foram soltos por 20 crianças na manhã desta quarta-feira no município de Cachoeiras de Macacu, na região Metropolitana. A soltura, organizada pela Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais (Cicca), da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA), em parceria com a Polícia Militar Ambiental, foi realizada em área de Mata Atlântica, sem que fosse divulgado o local exato, visando a evitar uma nova captura por caçadores.

Antes de serem soltos, os animais foram submetidos a rigorosas análises veterinárias para assegurar que estavam em perfeitas condições de saúde e aptos a dar continuidade ao seu ciclo natural. Por meio desse procedimento, os pássaros capturados não correm risco de transmitir doenças para os animais que já estão em seu hábitat natural.

Entre as espécies que foram devolvidas à natureza estão coleiros, trinca-ferros, canários-da-terra e outras representativas da fauna do Estado do Rio de Janeiro.
Para o coordenador da Cicca, José Maurício Padrone, a iniciativa de reunir crianças para soltar os pássaros é a melhor forma de promover a educação ambiental, além de ser uma excelente experiência interativa, “onde certamente essas crianças servirão de agentes multiplicadores para mudar a cultura da retirada de pássaros da natureza para criá-los em cativeiros”.

“Por intermédio dessas criancas, estamos devolvendo os animais para o lugar onde eles jamais deveriam ter saído. A retirada criminosa destes animais da natureza interrompe a cadeia alimentar e causa inúmeros prejuízos para a fauna, já que muitos deles são responsáveis pela dispersão de sementes.”, disse o coordenador da Cicca.

O comandante da Polícia Militar Ambiental, coronel André Vidal, explicou que, segundo a legislação, quem mata, apanha, expõe a venda ou cria em gaiolas animais silvestres sem autorização está sujeito a uma multa que varia de 500 até 5.000 reais por animal, além de detenção de seis meses a um ano. “Novas solturas utilizando crianças de localidades rurais serão realizadas ao longo do ano”, afirmou o coronel.



9 de dezembro de 2015

Fotógrafos e observadores de aves movimentaram o Parque Laje na 4ª edição do Avistar Rio

Institucional06/12/2015

O maior encontro de fotógrafos e observadores de aves da capital carioca movimentou o Parque Laje, Zona Sul do Rio, neste final de semana (5 e 6 de dezembro), com atividades socioambientais, jogos educativos e mostra fotográfica. A 4ª edição Avistar Rio levou cultura e ciência a pesquisadores, gestores ambientais, visitantes e adeptos das passarinhadas (caminhadas para contemplação de aves), um hobby sustentável que vem se tornando mania no Brasil.

- Investir no meio ambiente traz emprego e renda, estimulando o ecoturismo. Queremos que as unidades de conservação estaduais sejam locais de encontro para a população e para os turistas, porque só protege quem conhece e usa. Nesse contexto, os entusiastas das passarinhadas são importantes personagens para a preservação ambiental - ressaltou o secretário estadual do Ambiente, André Corrêa.


Uma parceira do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e da Associação de Fotógrafos de Natureza (AFNatura), o AvistarRio celebra a observação de aves feita com liberdade e autonomia, fortalecendo a formação da cultura de aves. Observação essa que é sinônimo de educação ambiental, conservação, ciência e turismo. Com uma programação diversificada, para todas as idades, o evento contou com congressos e exposições, além de passarinhadas.
O projeto “Brincando com Gaiolas” elaborado para promover a conscientização ambiental contra a captura, o aprisionamento e a domesticação ilegal de animais silvícolas foi destaque em tenda do Inea montada próxima a Escola de Artes Visuais do parque. Quem passeava num dos cartões postais do Rio ainda pôde se surpreender com exposição fotográfica que exaltava as belezas da fauna e flora fluminense.
Entre as atividades propostas no programa “Brincando com Gaiolas”, estão a desmontagem de apetrechos utilizados para captura e aprisionamento de animais, que são transformados em brinquedos, como carrinhos ou casas de boneca. Há também o “gaiolão” ou “gaiola humana”, onde as crianças são convidadas a entrar e ficar durante um tempo para sentir o que um animal aprisionado sente. O objetivo é que possam concluir que é melhor manter os animais livres.
Contação de historias e oficinas completaram o calendário de atividades da 4ª edição Avistar Rio. Com objetivo de difundir esse setor, o Inea vem organizando passarinhadas nas unidades de conservação de todo o Estado do Rio.
Um importante estímulo ao ecoturismo nas unidades de conservação, estima-se que a observação de aves movimenta cerca de U$ 75 bilhões por ano no mundo, com destaque para os Estados Unidos que possui uma receita de US$ 32 bilhões - dados do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. Somente no Estado do Rio, pelo menos 468 tipos de pássaros podem ser observados.
De acordo com estatística da Avistar Brasil - tradicional feira de observação de aves da América Latina - o país tem atualmente 30 mil observadores de aves (birdwatchers), número que cresce 10 por cento ao ano.
Para fortalecer o turismo ecológico, o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) está desenvolvendo um roteiro para observação de pássaros nas unidades de conservação estaduais. O "Aves do Rio" passa pelos locais mais ricos em diversidade e inclui guias especializados para acompanhar o passeio.
A organização e produção do Avistar Rio é feita por diferentes instituições como a Avistar Brasil e a Associação de Fotógrafos de Natureza (AFNatura), e conta com parceiros como o Clube de Observadores de Aves do RJ (COA/RJ), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Rede de ONGs da Mata Atlântica, Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Instituto Moleque Mateiro, SEBRAE – RJ, entre outras, que acreditam no resgate da vocação carioca para a contemplação da natureza.
A 4ª edição Avistar Rio levou cultura e ciência a pesquisadores, gestores ambientais, visitantes e adeptos das passarinhadas - Foto: Lourenço Eduardo.
As crianças também participaram. Foto: Lourenço Eduardo.

Fonte: Portal do Inea - www.inea.rj.gov.br

16 de abril de 2015

Foi criada a Área de Proteção Ambiental Marinha Boto-Cinza!



Caros Amigos e parceiros, 

Gostaria de compartilhar com todos vocês que agora é lei: APA Marinha Boto-Cinza é uma realidade.

O Projeto Abrace o Boto-Cinza comemora uma grande conquista. Hoje (16/04), foi publicada a Lei nº 962, sancionada no passado dia 10 de abril, pelo prefeito de Mangaratiba, a qual cria a Área de Proteção Ambiental Marinha Boto-Cinza. Com a publicação, a lei passa a vigorar a partir de agora.  

A APA Marinha Boto-Cinza é uma unidade de conservação de uso sustentável e tem como missão a conservação do ecossistema marinho da Baía de Sepetiba em consonância com o desenvolvimento sustentável e com a proteção de espécies ameaçadas, como o boto-cinza, que habitam a região.

A criação da APA Marinha é de extrema importância para a região, tendo em vista que a Baía de Sepetiba é uma das maiores do Brasil e riquíssima em biodiversidade e por abrigar a maior população de  botos-cinza, animal que atualmente está na Lista Nacional das Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção. As Unidades de Conservação têm como objetivo compatibilizar a conservação da natureza com a correta utilização dos recursos naturais. Entre os objetivos principais da APA Marinha Boto-Cinza estão a necessidade de promover a pesca e garantir o estoque pesqueiro na região, fundamental para a sobrevivência de populações tradicionais e para essa atividade econômica – prejudicada pela pesca industrial, a qual a APA Marinha Boto-Cinza pretende combater veementemente – e a necessidade de promover o turismo responsável, ecologicamente correto, garantindo o equilíbrio ambiental da zona costeira e marinha. 




Atenciosamente,


Leonardo Flach

Preservar o boto-cinza é nossa paixão.
Ensinar a preservar é nossa missão.

Instituto Boto Cinza
Tel: 55 21 7846-6364  ID 83*84180

15 de abril de 2015

Caçador é preso em Casimiro de Abreu

Institucional
10/04/2015
A Superintendência Regional Lagos São João do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) realizou essa semana operação contra desmatamento, mineração e captação irregular de água em Casimiro de Abreu, no interior do estado.
Com apoio da Prefeitura do município e do Comando de Policiamento Ambiental (Cpam) da Polícia Militar, além do ICM-Bio, teve como saldo o lacre de poço irregular, além de flagrantes de desmatamentos, caça e produção de carvão com uso de madeira nativa.
As equipes de fiscalização foram divididas em frentes de trabalho, uma das quais vistoriou empresas de engarrafamento de água em Casimiro de Abreu. Na Estrada da Bicuda, foi interditada uma extração irregular de água e os proprietários encaminhados para a 121ª Delegacia.
Os fiscais também percorreram pontos previamente demarcados num sobrevoo realizado no dia 26 de março, o que permitiu flagrar desmatamento de cerca de um hectare na Estrada do Bananal, também em Casimiro de Abreu. No mesmo município também foi preso um caçador e um proprietário de carvoaria ilegal, todos encaminhados para a delegacia para abertura de processo criminal.
De acordo com a superintendente regional Márcia Simões, operação foi realizada depois de proposta do Conselho do Mosaico do Mico-Leão Dourado, que conta com a participação das Áreas de Proteção Ambiental (APAs) da Bacia do Rio São João e do Mico Leão Dourado. A operação também contou com o apoio da Reserva Biológica Poço das Antas.

7 de abril de 2015

Curso do Instituto Boto-Cinza: Tópicos em Pesquisa e Conservação Marinha




O Instituto Boto Cinza é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, de cunho sócio-ambiental, que tem por missão trabalhar em prol da preservação do boto-cinza.

Nos mantemos através de patrocínios, doações, parcerias e ações como por exemplo a realização de cursos.

Gostaríamos então de solicitar a divulgação do nosso próximo curso, que está em promoção de 20% de desconto para os que se inscreverem até dia 10/04, próxima sexta-feira.

Caso seja possível, encaminhe aos seus contatos o cartaz acima ou publiquem em suas redes sociais.

O Instituto Boto-Cinza oferece vagas de estágio e voluntariado, e também levamos palestras gratuitas e nossa tenda itinerante a eventos que estejam dentro do perfil de nossa ONG, caso tenham interesse entrem em contato conosco.

Informações sobre o curso de Tópicos em Pesquisa e Conservação Marinha:


Data: 17 e 18 de abril de 2015
Carga horária: 14h

Local: Sede do IBC

Conteúdo:

- Pesquisas com etnoecologia e de interação pesqueira com botos-cinza;
- Abordagem sobre caracterização da pesca;
- Uso da fotoidentificação para estudos com peixes;
- Uso e impacto do mergulho em ambientes recifais.

Público: 
Estudantes e profissionais de biologia, ecologia, gestão ambiental, veterinária, educação ambiental, geografia, turismo, oceanografia e áreas afins (maiores de 18 anos ou menores com autorização escrita dos responsáveis).

Investimento: 
R$540,00 à vista ou em 2x (duas diárias de hospedagem incluídas, com café da manhã). Promoção: Inscrição e pagamento até 10/04, 20% de desconto: de R$540,00 por R$430,00.

O Pagamento deverá ser realizado via depósito bancário no Banco Itaú, AG: 4814,  CC: 16.838-3, em nome do Instituto Boto-Cinza. Entrar em contato prévio por e-mail (ibcinscricoes@gmail.com) para preenchimento de ficha de inscrição e após o pagamento, enviar o comprovante.

Para se inscrever no curso é necessário enviar e-mail para ibcinscricoes@gmail.com e solicitar a ficha de inscrição.

Palestrantes:
Kátia Silva: Graduada em Ciências Biológicas com ênfase em Biologia Marinha pela Universidade Santa Cecília (UNISANTA). Possui experiência nas áreas de biologia da conservação e etnoconservação, com temas de mamíferos aquáticos, biologia pesqueira e captura acidental. Atualmente, é coordenadora de pesquisa do Projeto Abrace o Boto-Cinza.

Vinícius Gíglio: Graduado em Ciências Biológicas com ênfase em Biologia Marinha pela Universidade Santa Cecília (UNISANTA). Mestre em Ecologia e Conservação da Biodiversidade pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Doutorando em Ecologia pela UFRJ e faz parte da equipe do Laboratório de Ecologia e Conservação de Ambientes Recifais – LECAR/UFF. Possui experiência em conservação de espécies ameaçadas, mergulho científico, impactos do turismo em ambientes recifais, manejo de pescarias em pequena escala e na área de Biologia Geral, com ênfase em estudos de comunidades ictiofaunísticas e de ecossistemas costeiros.


Contato:
Instituto Boto-Cinza
Rua Gastão de Carvalho, lote 2, quadra 4 - Brasilinha, Itacuruçá - Mangaratiba/RJ.
Tel: 55-21-7858-5072  ID 83*11430


Comissão Organizadora de Cursos

Outros cursos do Instituto: Veja AQUI.


Preservar o boto-cinza é nossa paixão.
Ensinar a preservar é nossa missão.

23 de fevereiro de 2015

1º Congresso de Conservação Marinha

http://1conmar.blogspot.com.br/p/programacao.html

I ConMar - 1º Congresso de Conservação Marinha, 

Paraty/RJ, de 8 a 10 de julho de 2015.